Notícias
Notícias
31 de Outubro de 2018
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
Sindpd convoca trabalhadores da antiga Top Service para receber pagamento de diferenças salariais
Em Edital, Sindicato pede que profissionais compareçam à sede para garantir o direito



Após uma luta que se prolongou por 19 anos, o departamento jurídico do Sindpd garantiu o creditamento das diferenças salariais dos trabalhadores que migraram da antiga Top Service para a Rosch, em 1997. O direito é voltado para cerca de 1.800 trabalhadores, no entanto ainda faltam cerca de 700 pessoas para receber os créditos.

No Edital de Convocação de Credores publicado no dia 29 de outubro, o Sindpd "convoca os ex-empregados da Top Service, que em 3 de novembro de 1997 foram contratados pela Rosch Administradora de Serviços de Informática Ltda., para prestar serviços na Caixa Econômica Federal, listados no rol de substituídos e que ainda não receberam seus créditos, para comparecerem à sede do Sindicato com a finalidade de receber o quinhão que lhes cabe".

Os pagamentos começaram em junho de 2017 e já beneficiaram mais de 1.100 pessoas. Clique aqui e confira o depoimento dos trabalhadores.

Quem tem direito?

Só tem direito às diferenças quem atuou na Top Service em 1998, foi contratado pela Rosch e ganhava o piso salarial previsto para a categoria.

Quem foi demitido ou tenha solicitado demissão, só tem direito ao período que permaneceu na Rosch.

Como solicitar o crédito

Para garantir o pagamento das diferenças, o beneficiário deve comparecer ao Sindpd para assinar um documento de liberação. É necessário que o trabalhador tenha em mãos o CPF, PIS, a cópia da carteira de trabalho onde consta o contrato com a Top Service e a Rosch e os dados bancários completos.

O creditamento será realizado com a correção e, posteriormente, também será depositada a diferença referente ao Imposto de Renda.

História da luta

A busca incessante do Sindicato pela garantia dos direitos dos trabalhadores começou quando a empresa Rosch ganhou a licitação e contratou os profissionais da Top Service para continuarem prestando serviço na Caixa Econômica Federal (CEF). Cerca de 1800 digitadores terceirizados da Top Service passaram a receber menos que o piso salarial previsto para a categoria, além de cortes no vale-refeição e na assistência médica.

O Sindpd entrou com ação expondo a ilegalidade e cobrando as diferenças, já que os trabalhadores continuaram cumprindo o mesmo horário de trabalho, no mesmo local e prestando serviço para a mesma tomadora - a Caixa Econômica Federal, com salário abaixo do piso.

Clique aqui e confira matéria completa.





Compartilhe

LEIA TAMBÉM