Notícias
Notícias
25 de Março de 2011
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
Não houve acordo. Agora é greve!
Mais uma vez, a inflexibilidade do Seprosp prevaleceu nas negociações do acordo coletivo. Na reunião de hoje (25), com o Sindpd e Ministério Público do Trabalho (MPT), o sindicato patronal negou as sugestões de acordo oferecidas pelo MPT - as quais o Sindpd já havia avaliado como satisfatória. Por esta razão, o Sindpd comunica a todos os trabalhadores da categoria de TI, que haverá greve geral a partir da próxima segunda-feira (28). "O patronal deixou claro que não respeita o trabalhador, quer nos espremer ao máximo para arrancar a nossa pele, usando-a como rebenque para nos esfolar e aumentar a produção e o lucro. Por isso, diante desta intransigência e falta de respeito, vamos à greve, vamos mostrar realmente o que representam os trabalhadores de Ti para o país", declara Antonio Neto, presidente do Sindpd. Durante a tensa reunião realizada no MPT, o sindicato patronal manteve a postura intransigente que teve nas outras negociações, não respeitando nem mesmo a posição do MPT e, oferecendo uma contraproposta muito abaixo do meio termo sugerido. A proposta apresentou um índice de reajuste linear de 7,5%; pisos para digitador de 9% e office boy 11%, administrativo, 9% e técnico 9%. Com relação ao vale refeição, o patronal ofereceu apenas R$ 8,00 e destinado somente para empresas com mais de 200 funcionários. Para a procuradora do MPT, Drª Laura Martins Maia de Andrade, a proposta sugerida pelo patronal não é conveniente. "Empresa com este número de funcionários não é empresa pequena", frisa. Para finalizar, o Seprosp passou por cima da última proposta ressaltando que não aceita obrigatoriedade do PLR e refuta a criação dos pisos de analista e programador. Durante as reuniões de conciliação propostas pelo MPT, foi sugerido um acordo envolvendo aumento salarial de 8,6% % (aumento real de 2,13%), VR de R$ 12 em jornada de 8 horas (com o acréscimo de R$ 6 nos casos de jornada superior a este período), obrigatoriedade de implantação de Participação em Lucros e Resultados (PLR), e inclusão dos pisos de analista e programador. Diante disso, o Sindpd volta a proposta inicial de reajuste de 11,9% nos salários dos profissionais do setor, maior participação nos lucros das empresas e correção no valor do auxílio-refeição para 15 reais por dia trabalhado. "Nossa responsabilidade é muito grande. Companheiros do Brasil inteiro estão atentos à luta dos profissionais de São Paulo para referenciar as negociações coletivas no país. Por isso, como já dissemos anteriormente, a nossa luta não se restringe ao fator econômico. Ela busca o respeito à categoria de tecnologia da informação, busca o fim da exploração através da contratação de PJs e cooperativas, sistemas que acabam com os direitos trabalhistas", ressalta Antonio Neto. Com isso, a partir da próxima segunda, a greve terá inicio. Apenas as empresas que prestam serviços essenciais (assistência médica e hospitalar, transporte coletivo, controle de tráfego aéreo e compensação bancária) devem manter o número necessário de empregados em atividade. "Companheiros, conclamo todos a parar na segunda-feira, especialmente os amigos que cobram a greve nos comentários. Conto com todos. Lembrem-se que os contratos de trabalho estão suspensos, ninguém pode ser demitido. Os dias parados serão negociados no Tribunal. Não temos nada a perder, temos muito a ganhar, principalmente o respeito que a nossa profissão merece. Manteremos apenas a operação padrão nas estatais (Prodam, Prodesp e Ima). Nas demais, a ordem é parar". O Seprosp quis afirmar que greve é abusiva. Entretanto, a procuradora discordou totalmente do sindicato patronal e garantiu que a greve é um direito dos trabalhadores. "A greve da categoria não é abusiva, a lei garante esse direito aos trabalhadores, é uma pena não termos encontrado um meio termo", analisa. Leia aqui a Ata de Audiência do MPT Veja a proposta do Seprosp

Confira aqui a galeria:

1/6
2/6
4/6
5/6
6/6



Compartilhe

LEIA TAMBÉM
ENQUETE
Você é favorável à Reforma da Previdência?

Sim
Não



Responder

Ver resultado
Ver enquetes anteriores


Colônia de Férias

POR QUE SE FILIAR?
POR QUE SE FILIAR?

SINDPDTV
SINDPDTV
PESQUISAR BENEFÍCIO

Área ou segmento


Tipo

Categoria

Cidade



Buscar
Reservas de colônias


NOTÍCIAS MAIS...
Acessadas


Últimas do Convergência Digital


Últimas do IDG NOW


HOMENAGENS
HOMENAGENS
Homenagens - mulher
Homenagens - 70

BLOG DO NETO
BLOG DO NETO

JORNAL DO SINDPD
JORNAL DO SINDPD

FGTS
FGTS